Com app modernizado, Catho aumenta sucesso de clientes

Com ajuda da Dextra, empresa constrói novo aplicativo para Android do zero e aumenta engajamento de candidatos. Usuários da plataforma móvel são os mais bem-sucedidos para conseguir um emprego.

Situação inicial

A Catho, plataforma de recrutamento on-line, enfrentava um desafio duplo em 2018: preparar terreno para um futuro em que cada vez mais os usuários preferem se candidatar e ser notificados em dispositivos móveis.
A modernização era importante para a empresa, que planejava direcionar mais investimentos para o aplicativo seguindo a tendência de parte dos usuários e do mercado.

Solução

“Propusemos a criação de um app nativo Android”, conta William Ramalho, gerente de projetos da Dextra. “Como era um app muito grande, e a gente queria trazer valor o mais rápido possível, a proposta era bem evolutiva, abrindo caminho para funcionalidades mais disruptivas concebidas durante o Design Sprint.”

Resultados

Dentre as mudanças, estão as recomendação de vagas por meio de notificações, melhorias na edição de currículos e dicas de recrutadores, entre outras.
Entre os resultados alcançados, segundo Silva, está o aumento do número de candidatos que conseguem emprego por meio do aplicativo.
A nota do aplicativo na Play Store, outro desafio importante para a Catho, atingiu um patamar considerado “muito bom”: 4,6 (registrados em fevereiro/2020).
Por último e não menos importante, a proporção de usuários registrados que utilizam o aplicativo já é de 40%. É possível ainda observar uma migração de usuários do site para o app. A empresa acredita que a quantidade de usuários da plataforma móvel deve, em breve, superar a do website.

Continue lendo para saber mais

Você vai demorar 7 minutos para ler o case completo

A Catho, plataforma de recrutamento on-line, enfrentava um desafio duplo em 2018: preparar terreno para um futuro em que cada vez mais os usuários preferem se candidatar e ser notificados em dispositivos móveis.

A modernização era importante para a empresa, que planejava direcionar mais investimentos para o aplicativo seguindo a tendência de parte dos usuários e do mercado. Com cada vez mais pessoas trocando o computador pessoal por smartphones na hora de acessar conteúdo on-line, inclusive nas classes C, D e E, o uso do serviço migra do desktop para os dispositivos móveis.

“Fizemos uma pesquisa por empresas que poderiam nos ajudar. Recebemos algumas indicações, e a Dextra sempre estava presente. Fiz contato com o [Luis] Dosso, que eu já conhecia. Ele foi transparente, contou como trabalhava. Eles são muito rigorosos com a metodologia, seguem muito bem o processo, e isso de fato fez muita diferença.”– Eber Machado Duarte, CTO da Catho

Após o primeiro contato, as empresas decidiram realizar um Design Sprint para saber como seria o trabalho.

Deu certo. Em abril de 2018 estabeleceu-se que o produto mínimo viável (MVP) seria um aplicativo totalmente novo para Android, construído do zero, e que receberia incrementos sucessivos até a completa substituição do antigo. Foram contratados cinco sprints, equivalentes a três meses de trabalho, mas a experiência foi tão positiva que os contratos têm sido renovados até hoje.

Desenvolvimento e tecnologia

O trabalho começou em abril de 2018, com a definição de que APIs seriam necessárias para a integração de serviços entre site e aplicativo. A primeira versão para homologação estava pronta em junho, e foi liberada para alguns “beta testers”. O desenvolvimento ficou a cargo da Dextra, mas um especialista da Catho era o responsável pela liderança técnica.

“Propusemos a criação de um app nativo Android”, conta William Ramalho, gerente de projetos da Dextra. “Como era um app muito grande, e a gente queria trazer valor o mais rápido possível, a proposta era bem evolutiva, abrindo caminho para funcionalidades mais disruptivas concebidas durante o Design Sprint.”

“Optamos por implementar o que sabíamos ser essencial. O login, a busca de vagas, a caixa de mensagens, a inclusão de currículos e o processo de candidatura (apply). As entregas eram consistentes, bem estruturadas. Muito pela cultura enraizada na Dextra, que tem um mindset ágil.” – Yara Silva, Gerente de Desenvolvimento.

Em agosto de 2018 o MVP foi liberado na Play Store, loja de aplicativos do Google – convivendo com a versão antiga. O primeiro momento serviu para avaliar a receptividade do novo aplicativo, fazer correções de bugs, resolver situações de crash e implementar algumas features que contribuíram para uma experiência mais completa dentro do app.

A taxa de crash foi diminuindo – atualmente 99% dos usuários no Android estão livres do problema. Depois começaram a vir as novas funcionalidades, como a assinatura (que antes acontecia apenas pelo site), recomendações de vagas, mais filtros de buscas para o usuário e outros.

>O desenvolvimento foi iniciado em Java, linguagem até então mais usada no Android. Aos poucos o Kotlin – hoje a linguagem oficialmente recomendada pelo Google – também foi incluída. A tecnologia mais moderna facilita a inclusão de funcionalidades e o suporte para publicação na loja do Android.
O desligamento da versão antiga do aplicativo sucedeu alguns pontos estratégicos. Primeiro foi executado um trabalho de melhoria de posicionamento da nova versão nas buscas da Play Store. Além disso a Catho recomendou a nova versão do app para os usuários.

Até que em janeiro de 2019 o novo aplicativo da Catho finalmente substituiu o antigo.

“Um dos pontos altos do projeto da Catho é que, apesar das divisões formais, desde o início conseguimos trabalhar como uma equipe só. Temos a sensação de sermos parte do produto. Eles em Barueri e nós em Campinas: com a metodologia ágil, apesar da distância geográfica, trabalhamos unidos.” – Daniel Domingues, Product Owner do projeto.

Presente e futuro

Dentre as mudanças estão recomendação de vagas por meio de notificações, melhorias na edição de currículos e dicas de recrutadores, entre outras. O que norteou a atuação das equipes da Dextra e da Catho foi a melhoria da experiência e a replicação de funcionalidades de sucesso do site no ambiente móvel.

Isso não quer dizer que todas as funcionalidades encontradas na versão web foram levadas para o aplicativo. Optou-se por reproduzir no app as funcionalidades com maior valor agregado e que fazem mais sentido em dispositivos móveis. Além disso, recursos pouco usados no site não foram migrados.

“De forma geral estamos resolvendo os problemas do candidato”, reitera Silva.

Entre os resultados alcançados, segundo o executivo, está o aumento do número de candidatos que conseguem emprego por meio do aplicativo. Na comparação entre mobile e site, usuários do app conquistam maior sucesso, em função de mecânica do aplicativo permitir maior engajamento e tempo de procura de vagas adequadas ao perfil profissional.

A nota do aplicativo na Play Store, outro desafio importante para a Catho, atingiu um patamar considerado “muito bom”: 4,3 (registrados em 19/05). “Era um grande desafio chegar a uma nota superior a 4. E hoje estamos bem posicionados em relação a outros aplicativos, quando se procura por vagas de emprego na loja do Android”, conta Silva.

Por último e não menos importante, a proporção de usuários registrados que utilizam o aplicativo já é de 40%. É possível ainda observar uma migração de usuários do site para o app. A empresa acredita que a quantidade de usuários da plataforma móvel deve, em breve, superar a do website.

“O objetivo foi atingido: ter um app novo, moderno e que estivesse mais ligado ao dia a dia do usuário. Com métricas que nos permitissem medir o uso e tomar ações com base nelas. Desde então, temos feito novos incrementos e melhorado funcionalidades antigas. Estamos fazendo uma evolução contínua. Queremos prover experiências diferentes no app, com recursos que não estão no desktop. E não copiar um do outro.” – Eber Machado Duarte, CTO da Catho

Os próximos desafios da equipe da Catho e da Dextra incluem a substituição da versão antiga do app no sistema operacional da Apple, o iOS. O volume de usuários em iPhones é menor do que o registrado em aparelhos Android, explica Duarte.

Há o desejo de aumentar ainda mais o engajamento dos usuários no aplicativo, diz o executivo, trazendo novas funcionalidades, como o uso de IA para recomendações de vagas mais assertivas e suporte a áudio e vídeo em processos seletivos.

Sobre a Catho

Com tecnologia de ponta, a Catho, empresa com mais de 800 colaboradores no Brasil, tem como missão mudar a vida das pessoas por meio do trabalho e carreira. Na empresa, diversidade e inclusão também são estimuladas e vivenciadas de verdade. Por isso, com o propósito de incluir pessoas com deficiência no mercado de trabalho, desde 2016, a Catho concede gratuidade no acesso a todas as vagas do site para profissionais com deficiência, com laudo, e reabilitados pelo INSS, abrangidos pela lei de cotas.
A Catho faz parte do grupo Seek, líder mundial em recrutamento online e considerada a companhia mais inovadora da Austrália. A Seek está presente na Bolsa de Valores da Austrália, além de atuar em países como China, Austrália, Índia, México, Indonésia, Nigéria, África do Sul, Hong Kong e Singapura.

  • Muita gente fala em tecnologia no Brasil. Muita gente só fala.

    Aqui não. Marque uma conversa.